top of page
  • Foto do escritorBlog Pro Luster

Ford e McDonald's irão produzir bioplástico com restos de café



De acordo com a Ford, a casca do café, excedente no processo de torra dos grão de café, será incorporada na fabricação de bioplásticos. Pretende-se fabricar os compartimentos dos faróis e as peças internas dos veículos com este material.


“O compromisso do McDonald’s em inovar nos impressionou e se aproxima de nossa visão de futuro e ação sustentável,” disse Debbie Mielewski, líder do time de pesquisa de sustentabilidade e materiais emergentes da Ford, em nota. “Isso tem sido uma prioridade da Ford há 20 anos, e é um exemplo de economia circular, em que indústrias diferentes trabalham juntas e trocam materiais que, no passado, seriam lixo.”

A casca do café é muito usada em outras indústrias como adubo ou carvão.

Ainda, segundo a montadora, o processo para transformação exige que se esquente a casca em ambiente de baixo oxigênio. O restante do café então é misturado com o plástico e outros aditivos, permitindo que seja moldado em diversas formas.


O plástico criado, é 20% mais leve e necessita de 25% menos energia para ser produzido. A Ford ainda destaca que a capacidade térmica do “plástico de café” também é “significativamente melhor” que os materiais usados atualmente.


“Como o McDonald’s, a Ford está comprometida em diminuir a quantidade de lixo e estamos sempre procurando por maneiras inovadoras de avançar este objetivo,” disse Ian Olson, diretor sênior de sustentabilidade global do McDonald’s, em nota. “Descobrindo uma maneira de usar a casca do café como matéria prima, estamos mostrando como empresas podem, juntas, participar ainda mais da economia circular.”


Além das duas gigantes, a Varroc Lighting Systems, que cria faróis de carro, e a Competitive Green Technologies, que processa as cascas de café, se integram ao projeto.

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page